segunda-feira, 3 de dezembro de 2007

PRASADA

PRASADA

“Muito além do temporário e bem intencionado vegetarianismo”

http://www.culinariavegetariana.com.br

www.vegetarianismo.com.br

Como Oferecer



Muitos não sabem mas quando consumimos qualquer produto orgânico, integral, natural ou de natureza animal assim como roupas, calçados, máquinas, eletrônicos e tudo que é produzido pela mão do homem vem embutido nesses produtos enormes quantidades de violência.



Mesmo o néscio mais simples que cultiva sua própria alimentação orgânica não tem consciência que ao respirar, dormir, andar, trabalhar a terra (mata e fere minhocas e etc.,), colher, cozinhar está matando ou cometendo violências contra outras entidades vivas das mais variadas espécies. Srila Prabhupada um grande mestre da auto-realização na era moderna diz que verdadeira não-violência significa não causar sofrimentos aos outros. “Quem não eleva as pessoas ao conhecimento espiritual, está cometendo violência.”



Pessoas com um pobre fundo de conhecimento, que não sabem que somos por natureza mamíferos e extremamente semelhantes aos animais herbívoros, rejeitam o mais maravilhoso e completo dos alimentos “o leite”, alegando que cometem violência ao se tirar o leite de uma vaca. O que essas pessoas sem consciência não sabem é que os grandes produtores de soja (material usado para fazer o pseudo queijo sem violência) cometem as mais variadas violências ao escravizarem e explorarem seus trabalhadores rurais levando-os a uma vida de suor, sangue e lágrimas. Essa exploração acontece em todos os outros tipos de plantações e industrializações.



A quadrilha toda será punida pelas estritas leis da natureza!

O mandante do crime que é o consumidor final que paga para que outros façam as coisas por ele.

Quem faz a propaganda do produto impregnado de violência.

Quem distribui tal produto.

Quem transporta.

Quem produz e colhe a violência no campo.



Krishna conhecendo toda a maldade humana e querendo ajudar aqueles que são inteligentes e que querem escapar desse mundo caótico onde tudo é temporário e miserável criou um processo que se seguido liberta qualquer um dessa quadrilha que envolve todo mundo.



Krishna diz no Bhagavad-gita 3.13 que os devotos do Senhor libertam-se de todas as espécies de pecados porque comem alimentos que primeiramente é oferecido como sacrifício. Outros que preparam alimento para o próprio gozo dos sentidos, na verdade comem apenas pecado (violência).



Portanto quem não oferece os alimentos a Deus seguindo um padrão estabelecido por Ele próprio e seguido e ensinado por Seus devotos sinceros nunca se livrarão da reação que vai vir.



Realmente não é a violência bem temperada que entra pela boca do homem que faz mal. O que contamina e destrói o homem é a reação violenta que sai dele através da ira, cobiça e luxúria que culmina em violências dentro da família, no trânsito, no trabalho e de uma forma geral dentro da sociedade humana. Sim porque tudo que entra tem que sair e alimentação no modo da ignorância baseada em violência gera violência.



Quando oferecemos em sacrifício nossos alimentos no modo da bondade a Deus, Ele imediatamente aceita o amor que colocamos ao cozinhar, absorve e tira os pecados que foram cometidos desde o plantio até ir para o altar e ao comer essa oferenda Ele a espiritualiza e o contato da oferenda com Seus lábios fazem com que o alimento oferecido agora com o nome de Krishna-prasadam se torne um verdadeiro néctar superando todos os sabores inferiores que já provamos antes.



Krishna por ser completo e perfeito vai mais além e quer nos livrar de todas as violências que possamos cometer ou participar neste mundo, por isso Ele nos pede que tudo que nós fizermos, tudo que nós comermos, tudo que nós oferecermos as outras pessoas ou qualquer presente que recebermos ou dermos e quaisquer austeridades que executarmos deveremos fazer tudo isto como uma oferenda a Ele.



Só assim poderemos viver de uma forma akarma (karma Free) ou seja sem gerar ações boas ou ruins que nos prendem ao ciclo de nascimentos e mortes.

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget