terça-feira, 7 de julho de 2009

As Vacas de KRISHNA



(Darsana na casa de Sripad Vanamali dasa Adhikari)

(Cessnock, Austrália, 3 de fevereiro de 2000)


[Srila Bhaktivedanta Narayana Maharaja notou um iguana decorativa de madeira de 24 polegadas no chão da casa (que estava lá quando os devotos compraram a casa). Ele pediu aos devotos que moram lá para retirar aquilo, por que aquele animal era invejoso e venenoso]

Srila Narayana Maharaja: Uma vaca é muito melhor! Por que?

Syamadasa Prabhu: Por que são benéficas para a sociedade humana.

Srila Narayana Maharaja: Por que?

Vanamali Prabhu: Elas dão leite. Elas ofereceram seu leite e elas mesmas a Krishna.

Srila Narayana Maharaja: Por que? Vocês devem pensar. Alguém pode explicar?

Devoto: Elas estão no modo da bondade.

Brajanatha Prabhu: Elas são como uma mãe.

Rukmavati dasi: Elas fazem Krishna se lembrar de Srimati Radharani.

Srila Narayana Maharaja: Como?

Rukmavati dasi: Quando Krishna as acaricia, Ele está pensando nas gopis.

Syamarani dasi: Por que elas são benéficas para Krishna. Elas deixam que Ele se encontre com Srimati Radharani na floresta. Elas dão a Ele a desculpa para ir a floresta. Quando Krishna volta de noite, a poeira das vacas fica no rosto e no cabelo Dele. Isto faz Ele ficar tão belo, que as gopis ficam mais atraídas por Ele. Então as vacas são benéficas para Krishna.

Srila Narayana Maharaja: (Apontando para o iguana)

Syamarani dasi: Não, ele não serve.

Brajanatha Prabhu: Os cavalos também servem. Eles podem correr e a poeira sobe.

Srila Narayana Maharaja: Os cavalos são como Kesi. As vacas sempre dão leite. Elas não têm dvesa, inveja. Elas não somente sustentam a si mesmas. A vida delas é sempre para os outros e especialmente para Krishna, para todos os Vrajavasis e para todo o mundo. Se alguém é saranagata, rendido a Krishna, e está sempre ocupado com o bem-estar de todo o mundo, não se importando com a sua própria vida – então Krishna tem que cuidar dela. Ele também sustenta as vacas e as alimenta, sempre as seguindo quando elas vão pastar durante os doces passatempos Dele. Ele faz tudo isso com as vacas. Sem pastorear, como irão todos esses passatempos se manifestar?

Navina Krishna Prabhu: Não existirá nenhum área para ir.

Syamarani dasi: Nenhum Venu gita.

Srila Narayana Maharaja: Devido à qualidade muito amorosa delas, elas são como uma 'mãe'- dando leite a todos, sem levar em consideração se são Hindus, Muçulmanos, Cristãos ou Budistas. Elas dão leite para todo mundo. Mesmo as serpentes vem para pegar o leite das vacas. Então, se nós queremos krsna prema – amor e afeição por Krishna – devemos tentar seguir o exemplo das vacas. Aquele iguana que vimos na casa de Devendranatha era muito grande.

Madhava Maharaja: Iguana.

Devoto: Eles podem oferecer veneno…

Srila Narayana Maharaja: Vacas não tem veneno... nunca. Vocês devem tentar manter as coisas, animais e pessoas que são favoráveis a bhakti. (Gurudeva então olhou para um grande aquário a sua direita) Esses peixes são muito luxuriosos. Sempre em luxúria. Galinhas, cabras, galos, porcas e porcos são muito luxuriosos. Na Índia, brâmanes elevados, ksatriyas e vaisyas não criam isso. Somente os muçulmanos e as pessoas de classe baixa podem manter todas essas coisas – cabras e lagartos. E os devotos devem manter o que?

Devoto: Vacas, bezerros, pavão, veado e semelhantes.

Srila Narayana Maharaja: Vocês devem manter qualquer coisa que seja favorável a sua bhakti. Desista de todas as coisas, até mesmo das qualidades que não são favoráveis a Krishna..

Syamarani dasi: Gurudeva? Govinda-bhakata Prabhu quer que eu faça uma pergunta. Você sempre diz que existe uma diferença entre Vrajendra-nandana Krishna e Dvarakadhisa Krishna, mas quando Dvarakadhisa Krishna….

Srila Narayana Maharaja: O que você acabou de falar? Nós sempre vemos a diferença?

Syamarani dasi: …entre Vrajendra-nandana …

Srila Narayana Maharaja: Não.

Syamarani dasi: Em rasa-vicara?

Srila Narayana Maharaja: Não! Nós vemos que Dvarakadhisa está em Krishna. Não existe diferença...

Syamarani dasi: Mas quando Dvarakadhisa Krishna está sentindo a separação de Vrindavana então Ele é na verdade Vrajendra-nandana Krishna?

Srila Narayana Maharaja: Mas onde está a pena de pavão? E onde está a flauta? E como Dvarakadhisa é o filho de Nanda Baba? De alguma forma. Ele é parcialmente Vrajendra-nandana…

Syamarani dasi: Quando Krishna disse a Uddhava….

Srila Narayana Maharaja: Por que Krishna não está morrendo?

Syamarani dasi: Como resultado da separação?

Srila Narayana Maharaja: Sim, como Srimati Radharani.

Srila Narayana Maharaja: Por que Dvarakadhisa não está vindo para Vrindavana? Quem O está detendo? Então, Ele é parte, uma fração apenas. Uma fração de Krishna. OK? Estou feliz de ter vindo aqui, por que esse é o departamento de Radharani.

[Muitas mulheres de diferentes países que estavam visitando Gurudeva na Austrália estavam hospedadas na casa de Vanamali Prabhu e Hari Priya didi.]

Syamarani dasi: Esta manhã na aula, vocês estavam dizendo que aquelas sadhana-siddha gopis cujas kasayas foram queimadas chegaram primeiro em rasa-sthali e as nitya-siddhas chegaram lá depois delas.

Srila Narayana Maharaja: Isto é porque elas deixaram tudo. Elas estavam sentindo muita separação. Pelo poder daquela separação, todas as suas kasayas (qualidades mundanas auspiciosas e não auspiciosas), que atuaram como obstáculos ou impedimentos para encontrar Krishna em Rasa, foram queimados de uma vez, e como o vento elas foram para lá.

Atri Prabhu: Isto foi pelo humor, ou na forma espiritual delas?

Syamarani dasi: Elas já estavam em seus corpos espirituais. Certo?

Srila Narayana Maharaja: Sim! Elas estavam em seus corpos espirituais. Elas passaram por todo seus sadhanas na vida anterior. Elas também tinham seus rostos e formas de gopi. Elas nasceram dos úteros das gopis. Está tudo certo até esse ponto. Mas algo está faltando. O que está faltando? Elas eram sadhana siddha; não nitya siddha. Então, elas tinham maridos e havia algum amor e afeição entre eles. Elas também tinham filhos. E depois disto, elas ouviram falar e viram Krishna; e então ficaram muito atraídas por Ele. Mas ainda assim elas tinham algum amor e afeição pelos maridos e filhos. Qualquer um que tenha amor e afeição por marido e filhos [e elas ficaram juntos, embora elas possam ter amor por Krishna] não chega a Rasa. Elas não podem servir Krishna. É rasabhasa – a semelhança de rasa e oposto a rasa, então Krishna não pode deixá-las vir.

Elas puderam ver Krishna, puderam ouvir Sua flauta, mas não puderam encontrar Krishna em Rasa, como as nitya-siddhas facilmente fazem. Elas correram em direção a Krishna, seguiram a direção de onde o som da flauta estava vindo. Mas quando começaram a ir, os maridos pararam elas. Por que? Yogamaya fez isto. Ela disse, "Vocês tem filhos, vocês terão que queimar seu humor maternal". Nós temos que desistir do conceito 'Eu sou'. Nós temos que esquecer isto, temos que queimar isto. Então, Yogamaya com um truque as parou, como fizeram quando discutimos. Isto é siddhanta muito elevado. Vocês devem cantar, lembrar e orar para Krishna, e então vocês podem realizar algo.

Syamarani dasi: Então, as gopis nitya-siddha vieram atrás delas para encontrar-se com Krishna naquele dia?

Srila Narayana Maharaja: Por que atrás?

Syamarani dasi: Por que você disse que elas chegaram primeiro.

Srila Narayana Maharaja: Ninguém viu ninguém. Tudo que viram foi, "Eu sou a única que está indo [para Krishna]". Não existe a questão de quem está atrás e quem está na frente.

Nesse mundo, se você diz qualquer coisa, maya virá e de algum modo cobrirá. Nossa língua é defeituosa. Então, o que quer que você diga, algo estará faltando. Você não consegue dizer nada completa e claramente. Se você disser algo, eu descobrirei alguma falha. Então, essa questão não será levantada. Quantas famílias vivem nessa área?

Vrindavana Vilasini dasi: 5 famílias. Elas moram perto.

Srila Narayana Maharaja: Vocês devem tentar ser amorosos com todos – não brigando – e com um humor carinhoso. Tentem cantar e lembrar, executar kirtana e ouvir. Tentem juntar mais flores para que possamos oferecê-las a Krishna e Radha. Compreendem: 'Mais flores?

Madhava Maharaja: Devotos!

Srila Narayana Maharaja: Vocês têm em seus jardins tantos tipos de flores.


(Palestra de Bhaktivedanta Narayana Maharaja extraída de
www.purebhakti.com, sob a guia de Pujyapada Vana Maharaj)

tradução e revisão: colaboradores do Instituto Vidya Nagar

domingo, 16 de dezembro de 2007

NATURE "Holy Cow" | Hinduism's Sacred Animal | PBS



Holy Cow! - The True Story








tudo esta matança carrega a atmosfera desta energia de dor e sofrimento fazendo que todos paguem reação , esta dor esta no ar assim como a poluição , os gazes que não enchegamos , este medo da morte , esta adrenalina , esta corrente , os animais estão a sofrer e muito , este sentimento esta no ar e passando para asfamilia , por favor vamos fazer algo !!!





The practice of compassion

Old McDonald's Farm



THE ILLUMINATI SLAUGHTERHOUSES MUST BE STOPPED! [Prabhupada]

NATAL SIGNIFICA VIDA NÃO MORTE




NÃO ME FALE DE PAZ SE A VIOLENCIA NASCE NO SEU PRATO!!!


terça-feira, 11 de dezembro de 2007

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket



Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket




Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket




Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket




Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket

NATAL

Papai Noel tem dois significados: O primeiro é criar este sentimento familiar onde existe uma confraternização amorosa por meio de presentes. A segunda é que o papai Noel representa um símbolo de vendas, de comércio, de empurrar os produtos no fim de ano. O Natal tem esta magia de festa, de todos se darem as mãos. Todo este sentimento faz com que compremos mais e mais presentes, e que convidemos mais pessoas para a nossa comemoração. O comércio inventou o seu deus de vendas e de amor. Houve uma associação inteligente. E isto satisfaz as pessoas. É o espírito de Natal. Assim é a Maya. Ela nos encanta com suas luzinhas e árvores enfeitadas de bolinhas. Ficamos caridosos, emocionados, sensibilizados. E enquanto matamos milhões de perus e outras criaturas para o maravilhoso jantar da meia noite, abraçamos os amigos e queridos numa cerimônia bonita e calorosa. De vez em quando lembramos de Jesus Cristo e oramos, mas raramente meditamos em seu propósito divino. E depois, alegres, esperamos pelo Reveillon. Alemão

quinta-feira, 6 de dezembro de 2007

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket


AS VACAS SERVIRAM JESUS E SEUS PAIS ...



Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket

VIVA E DEIXE VIVER




Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket


Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket
Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket

Sanãtana-dharma

Sanãtana-dharma

Srila Prabhupada



A palavra religião é um pouco diferente de sanãtana-dharma. Religião está relacionado a fé, e a fé
pode mudar. Pode-se ter fé num determinado processo, mas pode-se mudar de fé e adotar outra, ao
passo que sanãtana-dharma refere-se à atividade que não pode mudar. Por exemplo, a água é
sempre líquida e o fogo sempre transmite calor. De modo semelhante, não se pode tirar da entidade
viva sua função eterna. Sanãtana-dharma é eternamente uma parte integral da entidade viva.


Quando falamos de sanãnatana-dharma, portanto, devemos estar certos de que, baseados na
autoridade de Sripãda Rãmãnujãcãrya, estamos nos referindo a algo que não tem começo nem fim.
Aquilo que não tem fim nem começo na certa não é sectário, pois não pode limitar-se a quaisquer
fronteiras.

Aqueles que pertencem a alguma fé sectária considerarão erroneamente que
sanãtana-dharma também é sectário, mas se nos aprofundarmos no assunto e o estudarmos à luz
da ciência moderna, é possível vermos que sanãtana-dharma é a atividade de todas as pessoas do
mundo - aliás, de todas as entidades vivas do Universo.

Uma fé religiosa não-sanãtana pode ter algum início nos anais da história humana, mas não há
início para a história de sanãtana-dharma, porque ele acompanha eternamente as entidades vivas.
Quanto às entidades vivas, os sãstras autorizados afirmam que a entidade viva não tem nascimento
nem morte. No Gitã, afirma-se que a entidade viva nunca nasce e nunca morre. Ela é eterna e
indestrutível, e continua a viver após a destruição de seu corpo material temporário.

Com referência ao conceito de sanãtana-dharma, devemos tentar entender o conceito de religião,
recorrendo ao significado contido na raiz sânscrita desta palavra. Dharma refere-se àquilo que é
inerente a determinado objeto. Concluímos que junto com o fogo há calor e luz; sem calor e luz a
palavra fogo não faz sentido. Do mesmo modo, devemos descobrir a parte essencial do ser vivo,
aquela parte que sempre o acompanha. Aquilo que sempre o acompanha constitui sua qualidade
eterna, e essa qualidade eterna é sua religião eterna.

Quando Sanãtana Gosvãmi perguntou a Sri Caitanya Mahãprabhu sobre a svarupa de todo ser vivo,
o Senhor respondeu que a svarupa, ou posição constitucional, do ser vivo é prestar serviço à
Suprema Personalidade de Deus. Se analisamos esta afirmação do Senhor Caitanya, facilmente
podemos ver que todo ser vivo está constantemente ocupado em prestar serviço a outro ser vivo.
Um ser vivo serve a outro ser vivo em várias intensidades. Com este procedimento, a entidade viva
desfruta da vida.

Os animais inferiores servem aos seres humanos, assim como os servos servem a
seu amo. A serve ao amo B, B serve ao amo C, e C serve ao amo D e assim por diante. Nessas
circunstâncias, podemos ver que um amigo serve a outro amigo, a mãe serve ao filho, a esposa
serve ao marido, o marido serve à esposa e assim por diante. Se continuarmos pesquisando neste
espírito, veremos que, na sociedade dos seres vivos, não há exceção à atividade que consiste em
servir. O político apresenta ao público seu manifesto para convencê-lo de sua capacidade de prestar
serviço. Os eleitores, portanto, dão seus valiosos votos ao político, pensando que ele prestará
valioso serviço à sociedade. O vendedor serve ao freguês, e o artesão serve ao capitalista. O
capitalista serve à família, e a família serve ao Estado, caracterizando a eterna posição do ser vivo
eterno. Dessa maneira, podemos ver que não há sequer um ser vivo que deixe de prestar serviço a
outros seres vivos, e portanto podemos concluir com segurança que o serviço acompanha
constantemente o ser vivo e que a prestação de serviço é a religião eterna do ser vivo.

Todavia, o homem, sob influência do tempo e circunstância particulares, professa pertencer a
determinada espécie de fé e com isso alega ser hindu, muçulmano, cristão, budista ou um membro
de alguma outra seita. Tais designações não são sanãtanã-dharma. O hindu pode mudar de fé e
tornar-se muçulmano; o muçulmano pode mudar de fé para tornar-se hindu; um cristão pode mudar
de fé e assim por diante. Mas, em nenhuma dessas circunstâncias, a mudança de fé religiosa afeta
a ocupação eterna que consiste em prestar serviço aos outros. Em todas as circunstâncias, o hindu,
o muçulmano ou o cristão são servos de alguém. Logo, professar uma determinada espécie de fé
não é professar o sanãtanã-dharma. Prestar serviço é sanãtanã-dharma.

De fato, através do serviço relacionamo-nos com o Senhor Supremo. O Senhor Supremo é o
desfrutador Supremo,e nós, entidades vivas, somos seus servos. Somos criados para lhe dar
prazer, e se participamos nesse prazer eterno da Suprema Personalidade de Deus, tornamo-nos
felizes. Não há outro processo que nos traga felicidade. Não é possível ser feliz independentemente,
assim como nenhuma parte do corpo pode ser feliz sem cooperar com o estômago. Não é possível
que a entidade viva seja feliz deixando de prestar transcendental serviço amoroso ao Senhor
Supremo.

No Bhagavad-gitã, não se aprova a adoração a diferentes semideuses ou a prestação de serviço a
eles. Afirma-se no Sétimo Capítulo, vigésimo verso: ”Aqueles cuja inteligência foi roubada pelos
desejos materiais rendem-se aos semideuses e prestam adoração através de determinadas regras e
regulações que se coadunam com suas próprias naturezas.” Aqui, afirma-se com toda a franqueza
que aqueles que se deixam levar pela luxúria adoram os semideuses, e não o Supremo Senhor
Krishna. Quando mencionamos o nome Krishna, não nos referimos a algum nome sectário. Krishna
significa o prazer mais elevado, e confirma-se que o Senhor Supremo é o reservatório ou depósito
de todo o prazer. Estamos todos desejando o prazer. Ãnanda-mayo ‘bhyãsãt (vedanta-sutra 1.1.12).
Como o Senhor, as entidades vivas são plenas de consciência, e elas estão buscando a felicidade.
O senhor é perpetuamente feliz, e se as entidades vivas associam-se com o Senhor, cooperam com
Ele e tornam-se Seus companheiros, então elas também se tornam felizes.

O Senhor desce a este mundo mortal para mostrar os passatempos que Ele executa em Vrndãvana,
que são cheios de felicidade. Quando o Senhor Sri Krishna esteve em Vrndãvana, Suas atividades
com seus amigos vaqueirinhos, com Suas amigas donzelas, com outros habitantes de Vrndãvana e
com as vacas eram todas cheias de felicidade. Toda a população de Vrndãvana só queria saber de
Krishna. Mas o Senhor Krishna chegou mesmo a dissuadir Seu pai Nanda Mahãraja de adorar o
semideus Indra, porque Ele queria estabelecer o fato de que as pessoas não precisam adorar
nenhum semideus. Tudo o que elas precisam é adorar o Senhor Supremo, porque sua meta última é
retornar à Sua morada.

Extraído da Introdução do livro "Bhagavad Gita Como Ele É", de A. C. Bhaktivedanta Swami
Prabhupada.

AS VACAS SERVIRAM Á KRISHNA

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket

As Vacas São Sagradas

As Vacas São Sagradas

As coisas em Portugal andam aborrecidas, pelo que é mais emocionante voltar ao Hinduísmo.
O carácter sagrado da vaca é dos poucos aspectos do Hinduísmo conhecidos no Ocidente.
Procurei saber a razão pela qual a vaca é sagrada.
Tão sagrada que pessoa que mate uma vaca terá que passar por 8 milhões e quatrocentos mil vidas, em reencarnações sucessivas das mais diferentes naturezas até uma reencarnação humana.
A vaca é um animal sagrado, não no sentido de ser adorada, mas no sentido de ser respeitada, porque foi uma vaca que alimentou Krishna, um dos mais importantes deuses hindus.
Krishna é uma das reincarnações de Vishnu, o deus protector, pertencente à trindade hindú.
Nessas funções, de quando em vez, Vishnu deixa os céus e desce à terra por diferentes formas, para proteger a humanidade do mal.
Vishnu teve dez reincarnações, havendo, no entanto, quem sustente que já tomou 22 formas.
Krishna é a oitava reincarnação de Vishnu e é considerada a mais importante de todas.
Nesta reincarnação, Krishna aparece como o protector do desenvolvimento humano e das ciências.
A propósito, a sétima reincarnação de Vishnu foi Rama. Rama ainda é motivo para atentados nos dias de hoje, Índia.
Rama nasceu na cidade de Ayodhya, na Índia Central, não longe de Agra e de Veranassi ou Benares.
Em 1526, o Imperador muçulmano Baber resolveu construir uma mesquita próximo do suposto local de nascimento de Rama.
Esta mesquita tornou-se um foco de conflitos entre muçulmanos e hindus, desde essa época até aos nossos dias.
Aliás, essa mesquita foi demolida em 1992 por uma multidão enraivecida, causando motins em todo o país.
O local do conflito está severamente guardado.Apesar disso, ainda no início de Julho e dois dias após a passagem do grupo em que me integrava nas imediações da cidade, houve um atentado no local, com mortos, provocando muita comoção em toda a Índia, a avaliar pelo que li e ouvi na televisão

texto de :Pinho Cardão

quarta-feira, 5 de dezembro de 2007

Crueldade Natural

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket



Vejo que as pessoas falam em proteger a vida dos animais e etc, mas estão matando as baratas, as formigas, os insetos, as cobras, e outros seres vivos. A vida deles não é sagrada? Como é isso? O quando vale uma vida mais do que outra? Pelo grau de consciência? Quem está determinando isto? Vida é vida, e o espírito está evoluindo em qualquer forma. Que direito você tem de interromper a vida, de ser o juiz da morte daquele ser dito 'insignificante"? Como você está racionalizando para matar ou exterminar um pobre inseto? Se você mata uma formiga, um mosquito, como você pode falar em preservar a vida de um mamífero? Assim, isto é relativo. É hipocrisia. A violência em uma pequena forma é que expande a crueldade natural em outras formas. Violência é violência. Observe o seu ato cruel naquele que você classifica de bicho desprezível, que é uma criação divina igual a um ser humano. Você não pode entender. Seu coração não pode sentir a alma presente em cada ser. Seu movimento não é real. Não mate nenhum ser.

Alemão


Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket

segunda-feira, 3 de dezembro de 2007

Sri Srimad Bhaktivedanta Narayana Maharaj

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket


nosso mestre , nossa maior inspiração ...



Sri Srimad Bhaktivedanta Narayana Maharaj

A infancia de Gurudeva e o Ganges
Sua graça Sri Srimad Bhaktivedanta Narayana Maharaj é o discípulo de Om Visnupada Sri Srimad Bhakti Prajnana Kesava Goswami Maharaja, que foi um dos mais proeminentes discípulos de Om Visnupada Sri Srimad Bhaktisiddhanta Sarasvati Prabhupada.

Nasceu em um vilarejo chamado Tewaripur localizado próximo das margens do sagrado rio Ganges em Bihar, Índia. A área é renomada porque faz menção a uma passagem do Ramayana, onde o Rei Ramachandra e Visvamitra Muni mataram o demônio Taraka. Ele nasceu em Amavasya (lua nova) dia 16 de fevereiro de 1921, numa família brahmana Trivedi muito religiosa. Durante sua infância ele teve muitas oportunidades para regularmente acompanhar seu pai ao ir realizar kirtanas e assembléias pravachan.

BV Narayana Gosvami Maharaj desde 1996 deu 16 voltas ao redor do mundo palestrando sobre tópicos profundos do siddhanta, verdades concernentes a conclusão do conhecimento final, Vedanta. Organiza dois festivais anuais na Índia onde milhares de pessoas, indianos e ocidentais reúnem-se por um mês na região de Vraja-mandala e na região de Navadvipa para peregrinarem e irem aos locais sagrados, ouvindo e discutindo tópicos, recriando situações, proporcionando um maior entendimento filosófico, social e transcendental sobre os Vedas.



Assim, ele tem dedicado seu tempo para dar entrevistas, palestras, conferências sobre o extenso conteúdo de sua obra e sobre os Vedas. BV Narayana Maharaj compõe a parte “lírica” dos bhajanas e suas palestras (hari-kathas) utrapassam a casa de 3000 páginas, cerca de 1000 páginas destes textos podem ser encontrados em português no website www.sadhanatimes.com.br. Escreveu comentários do Srimad Bhagavad-Gita, Sri Brahma-Samhita, Jaiva-Dharma, Sri Siksastaka, Verdades Secretas do Bhagavatam, etc. Este Bhagavatam é conhecido como o Bhagavata Purana,que no seu cerne tem os comentários das escolas nyaya, vaiseshika, yoga, samkhya, mimamsa e vedanta. A soma destes livros totalizam cerca de 38 obras, aproximadamente.

PRASADA

PRASADA

“Muito além do temporário e bem intencionado vegetarianismo”

http://www.culinariavegetariana.com.br

www.vegetarianismo.com.br

Como Oferecer



Muitos não sabem mas quando consumimos qualquer produto orgânico, integral, natural ou de natureza animal assim como roupas, calçados, máquinas, eletrônicos e tudo que é produzido pela mão do homem vem embutido nesses produtos enormes quantidades de violência.



Mesmo o néscio mais simples que cultiva sua própria alimentação orgânica não tem consciência que ao respirar, dormir, andar, trabalhar a terra (mata e fere minhocas e etc.,), colher, cozinhar está matando ou cometendo violências contra outras entidades vivas das mais variadas espécies. Srila Prabhupada um grande mestre da auto-realização na era moderna diz que verdadeira não-violência significa não causar sofrimentos aos outros. “Quem não eleva as pessoas ao conhecimento espiritual, está cometendo violência.”



Pessoas com um pobre fundo de conhecimento, que não sabem que somos por natureza mamíferos e extremamente semelhantes aos animais herbívoros, rejeitam o mais maravilhoso e completo dos alimentos “o leite”, alegando que cometem violência ao se tirar o leite de uma vaca. O que essas pessoas sem consciência não sabem é que os grandes produtores de soja (material usado para fazer o pseudo queijo sem violência) cometem as mais variadas violências ao escravizarem e explorarem seus trabalhadores rurais levando-os a uma vida de suor, sangue e lágrimas. Essa exploração acontece em todos os outros tipos de plantações e industrializações.



A quadrilha toda será punida pelas estritas leis da natureza!

O mandante do crime que é o consumidor final que paga para que outros façam as coisas por ele.

Quem faz a propaganda do produto impregnado de violência.

Quem distribui tal produto.

Quem transporta.

Quem produz e colhe a violência no campo.



Krishna conhecendo toda a maldade humana e querendo ajudar aqueles que são inteligentes e que querem escapar desse mundo caótico onde tudo é temporário e miserável criou um processo que se seguido liberta qualquer um dessa quadrilha que envolve todo mundo.



Krishna diz no Bhagavad-gita 3.13 que os devotos do Senhor libertam-se de todas as espécies de pecados porque comem alimentos que primeiramente é oferecido como sacrifício. Outros que preparam alimento para o próprio gozo dos sentidos, na verdade comem apenas pecado (violência).



Portanto quem não oferece os alimentos a Deus seguindo um padrão estabelecido por Ele próprio e seguido e ensinado por Seus devotos sinceros nunca se livrarão da reação que vai vir.



Realmente não é a violência bem temperada que entra pela boca do homem que faz mal. O que contamina e destrói o homem é a reação violenta que sai dele através da ira, cobiça e luxúria que culmina em violências dentro da família, no trânsito, no trabalho e de uma forma geral dentro da sociedade humana. Sim porque tudo que entra tem que sair e alimentação no modo da ignorância baseada em violência gera violência.



Quando oferecemos em sacrifício nossos alimentos no modo da bondade a Deus, Ele imediatamente aceita o amor que colocamos ao cozinhar, absorve e tira os pecados que foram cometidos desde o plantio até ir para o altar e ao comer essa oferenda Ele a espiritualiza e o contato da oferenda com Seus lábios fazem com que o alimento oferecido agora com o nome de Krishna-prasadam se torne um verdadeiro néctar superando todos os sabores inferiores que já provamos antes.



Krishna por ser completo e perfeito vai mais além e quer nos livrar de todas as violências que possamos cometer ou participar neste mundo, por isso Ele nos pede que tudo que nós fizermos, tudo que nós comermos, tudo que nós oferecermos as outras pessoas ou qualquer presente que recebermos ou dermos e quaisquer austeridades que executarmos deveremos fazer tudo isto como uma oferenda a Ele.



Só assim poderemos viver de uma forma akarma (karma Free) ou seja sem gerar ações boas ou ruins que nos prendem ao ciclo de nascimentos e mortes.

OFERECENDO ALIMENTOS A D'US (Sri Krsna)

OFERECENDO ALIMENTOS A D'US (Sri Krsna)

Como Oferecer o Alimento e torná-la Krishna-prasada



É muito fácil oferecer um alimento a Krsna. Primeiro você precisa providenciar uma foto Sri Krsna e de Srila Prabhupada (se não tiver use O Bhagavad-gitã). Faça o alimento que desejar (não pode conter carne, peixe, ovos e nem derivados).

Enquanto estiver fazendo a preparação NÃO PROVE!!! pois você vai oferecer a Krsna e ele tem que ser o 1º a provar de seu alimento. Na duvida não abuse do sal. Quando estiver pronto o alimento pegue um prato e um copo que só deve ser usado para Krishna, coloque um pouco de cada preparação e leve-o até o o pequeno altar que você montou com a foto de Krsna e Prabhupada ou coloque as oferendas na frente do Bhagavad-gitã e recite o seguintes mantras:



nama om visnu-padaya krsna presthaya bhu-thale
srimate bhaktivedanta swami iti namine

Ofereço minhas respeitosas reverências a Sua Divina Graça A.C. Bhaktivedanta Swami Prabhupada, que é muito querido ao Senhor Krsna, por ter se refugiado em Seus pés de lotús.

namas te saravaste deve gaura vani-pracarine
niversesa sunyavadi pascatya desa tarine



Nossas respeitosas reverências a ti, ó mestre espiritual, servo de Sarasvati Gosvami. Estás bondosamente pregando a mensagem do Senhor Chaitanya e libertando os paises ocidentais, que estão repletos de impersonalismo e niilismo.

namo maha vadanyaya
krsna prema pradaya te
krsnaya krsna caitanya
namne gaura tvise namah



Ó encarnação mais munificente! És o próprio Krsna aparecendo como Sri Krsna Caitanya Mahaprabhu. Assumiste a cor dourada de Srimati Radharani, e estás distrinbuindo á vontade o amor puro por Krsna. Oferecemos nossas respeitosas reverências a Ti.

namo bhamanya devaya
go brahmana hitaya ca
jagad dhitaya krsnaya
govindaya namo namah



Meu Senhor, és o benquerente das vacas e dos brahmanas, e és o benquerente de toda sociedade humana do mundo.



Hare Krishna Hare Krishna Krishna Krishna Hare Hare

Hare Rama Hare Rama Rama Rama Hare Hare



Aguarde alguns minutos e pronto! você já pode voltar os alimentos oferecidos as respectivas panelas e depois de lavar o prato e copo de Krishna pode comer e distribuir esse alimento que irá alimentar seu corpo e satisfazer sua alma!


Como se alimenta uma pessoa que com sua inteligência

extática e transcendental está dando prazer a Srila Prabhupada


Cozinhando para Srila Prabhupada (Mestre Espiritual)



Quando cozinhar para Srila Prabhupada (Mestre Espiritual), por favor siga estas instruções para que ele possa ter a prasadam que gosta e precisa para estar saudável.

Quando for preparar comida para ele, sempre pergunte o que ele gostaria de comer.

Essa lista é apenas um guia básico e haverá outras coisas que ele gosta e não gosta, portanto por favor é sempre bom checar com ele.

Regras Gerais

A prasadam deve ser saudável, isto é, leve e não rica, mas ao mesmo tempo saborosa.

Frutas e vegetais orgânicos frescos são a base da dieta – vegetais no vapor e saladas fartas.

Frutas frescas e sucos de fruta devem ser ingeridos separadamente e não junto com outros alimentos (exceto bananas) e geralmente devem ser ingeridos primeiramente pela manhã.

Espere pelo menos 30 minutos depois de comer frutas antes de comer qualquer outra coisa.

Água mineral de boa qualidade em abundancia.

domingo, 2 de dezembro de 2007

Encarnações

Os diversos povos da Índia tiveram em comum a fascinação e o respeito pelos animais. Os hindus, budistas e jainas consideravam todas as formas de vida como igualmente importantes, pois as julgavam encarnações de uma energia ou força vital única. Acreditavam que quando uma pessoa morria essa energia era reencarnada em alguma outra forma.

Matar um ser vivo era inadmissível. Até um inseto poderia ser vitalizado pela alma de um antepassado ou amigo. Em uma forma ainda mais forte de expressar esse sentimento pelos animais, a mitologia hindu dotou os deuses de atributos animais.



As Aves

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket


Para os antigos indianos, as aves a voar alto no céu eram uma fonte de inspiração. Associavam-nas muitas vezes com o sol. Com o desenvolvimento do hinduísmo, o poder do sol foi representado por um ser mitológico meio homem, meio ave, chamado Garuda. Milhares de anos depois, alguns imperadores mulçumanos da Índia se interessaram tanto por aves que mandavam buscar as variedades incomuns das terras distantes e determinavam aos seus pintores e escultores que as reproduzissem com realismo.


Os Macacos


Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket


De acordo com um velho mito hindu, um exército de macacos ajudou um dia o lendário herói Rama a salvar sua mulher do demônio Ravana. Como Rama era um avatar de Vishnu, os macacos foram desde então festejados. As fábulas em que os macacos pensam e falam para expor uma lição de moral também fazem parte da educação de todo o menino de origem nobre do país. Os macacos eram animais de estimação de muito desses nobres ou era um dos muitos animais pertencentes aos zoológicos do rajás.



O Gado Bovino


Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket



Essa tem sido a espécie mais essencial da Índia. Para o hindu, a veneração da vaca faz parte integrante da vida e tem raízes tradicionais profundas. Entretanto, as vacas não são realmente sagradas, a religião hindu só proíbe a matança desses animais.
Para os hindus os touros é que são os animais sagrados. Símbolo da procriação desde os tempos pré-históricos, os touros eram também associados ao deus Shiva, sendo esculpido em seus templos.


Os Elefantes

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket



Segundo a mitologia hindu, os primeiros elefantes do mundo possuíam asas e brincavam com as nuvens. Mas um dia, um grupo de elefantes pousou nos galhos de uma árvore debaixo da qual um santo asceta falava a seus discípulos.
Os galhos se quebraram e os elefantes caíram em cima dos discípulos matando vários deles. O santo homem ficou tão zangado que pediu aos deuses que tirassem as asas dos elefantes.
Os elefantes, mesmo sem asas continuaram a ser amigos das nuvens e a ter o poder de pedir que elas tragam as chuvas, por isso os elefantes são ainda hoje venerados na Índia. Os elefantes brancos, além de tudo, são considerados símbolo de boa sorte.

sábado, 1 de dezembro de 2007

Porque não se tornar imediatamente vegetariano?

Porque não se tornar imediatamente vegetariano?

Acho super interessante esse tópico, porque muitas pessoas ficam muito na mente e esquecem que o alimento que ingerem é tão igual ou mais importante para o refinamento do nosso trabalho evolutivo nesse planeta.

Não é uma radicalização, mas uma evidência espiritual o que está sendo dito. As palavras não são para convencer, mas para refletir sobre o fato. Então, que confirmem aqui os mais estudiosos sobre o assunto, pois esse é um tema de suma importância para quem está relevando esse tópico num segundo plano.

Para sutilizar nossas energias, para quem está vivendo no nível espiritual, devemos nos abster de certos tipos de alimentos mais "pesados" karmicamente.

Esses são os alimentos obtidos pela crueldade, tal como o abate indiscriminado e sofrível de nossos irmãos menores, os animais, que estão no período de evolução mental, um estágio antes do humano.

Coloco aqui apenas 10 razões para diminuirmos nosso hábito carnívoro, para não pesarmos mais ainda a nossa energia espiritual que está tão abalada por este mundo de formas pensamentos tão negativas.

O vegetarianismo é a tendência que mais cresce no mundo desenvolvido. Eis 10 motivos porque você deve pensar em virar vegetariano também:

1- Evitar carne é um dos melhores e mais simples caminhos para cortar a ingestão de gorduras. A criação moderna de animais provoca artificialmente a engorda para obter mais lucros. Ingerir gordura animal aumenta suas chances de ter um ataque cardíaco ou desenvolver câncer.

2- A cada minuto todos os dias da semana, milhares de animais são assassinados em abatedouros. Muitos sangram vivos até morrer. Dor e sofrimento são comuns. Só nos EUA, 500.000 (meio milhão) de animais são mortos a cada hora!

3- Há milhões de casos de envenenamento por comida relatados a cada ano. A vasta maioria é causada pela ingestão de carne.

4- A carne não contém absolutamente nada de proteínas, vitaminas ou minerais que o corpo humano não possa obter perfeitamente de uma dieta vegetariana.


5- Os países africanos - onde milhões morrem de fome - exportam grãos para o primeiro mundo para engordar animais que vão parar na mesa de jantar das nações ricas.

6- "Carne" pode incluir rabo, cabeça, pés, reto e a coluna vertebral de um animal.


7- Uma salsicha pode conter pedaços de intestino. Como alguém pode estar certo que os intestinos estavam vazios quando utilizados? Você realmente quer comer o conteúdo do intestino de um porco?


8- Se comêssemos as plantas que cultivamos ao invés de alimentar animais para corte, o déficit mundial de alimentos desapareceria da noite para o dia. Lembre-se que 40 hectares de terra produz carne suficiente para 20 pessoas, mas grãos suficientes para alimentar 240 pessoas!

9- Todos os dias dezenas de milhões de pintinhos de apenas 1 dia de vida são mortos apenas por que não podem botar ovos. Não há regras para determinar como ocorre a matança. Alguns são moídos vivos ou sufocados até a morte. Muitos são utilizados como fertilizantes ou como ração para alimentar outros animais.

10- Os animais que morrem para a sua mesa de jantar morrem sozinhos, em pânico e terror, em profunda depressão e em meio a grande dor. A matança é impiedosa e desumana.

Todo o problema referente ao consumo de carne é simplesmente porque a carne é um alimento de vibrações pesadas para quem está se adentrando na espiritualidade.

Isso afeta negativamente a experiência espiritual, que precisa trabalhar com energias mais sutis e sensíveis. Esse é um ponto científico e de realização dos sábios.

A outra questão se refere à violência. O espiritualista sério não deve aceitar violência, ou consumir algo que foi adquirido à força do sofrimento alheio.

Entrem em qualquer site que denuncia os modos torturantes de como são criadas as entidades vivas, nossos irmãos menores em consciência, os animais que consumimos apenas para satisfazer nossa gula em prol da nossa satisfação egoísta e mecânica (isso se tornou normal na sociedade, que vive numa mídia consumista, onde vale tudo para lucrar), mesmo que façamos isso de modo, muitas vezes, inconscientes, ou sem saber dos fatos reais.

Comer a carne não é algo condenável para quem gosta de consumi-la. O que está sendo condenado aqui é a violência de como as coisas são obtidas. Se uma pessoa quiser comer carne espere o animal morrer. Muitos animais estão morrendo todos os dias, de morte natural. Então vá e coma a carne. Mas mesmo assim ele será um alimento pesado para a prática da espiritualidade.

No Bhagavad-Gita, Krsna explica que os alimentos que consumimos estão situados em três modos da natureza, que são bondade (satwa), paixão (rajas) ou ignorância (tamas). Para aquele que está querendo se purificar deve-se consumir os alimentos situados na qualidade da bondade ou satwa. Leiam o capítulo 14 do Gita (os modos da natureza material). E a carne é um alimento de tamas, da qualidade da ignorância.

O fato de não aceitarmos carne por causa da violência irá desenvolver em nosso coração a misericórdia, que é um dos principais atributos da vida espiritual. Assim, não ficaremos agitados, agressivos, irados e com a sensação de peso que é comum aos alimentos na ignorância.

Alemão

sexta-feira, 30 de novembro de 2007

A MINHA VACA E A MAIS BONITA

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket

CAMPANHA VIRTUAL DE PROTEÇÃO AS VACAS E AOS ANIMAIS , ORIENTAÇÃO ALIMENTAR E CULTURAS QUE QUE REVERENCIAS ESTES ANIMAIS TÃO DOCEIS...



A MINHA VACA E A MAIS BONITA E A SUA ESTA NO SEU ALBÚM QUERIA CONHECER ..... RSRS NAMASTÉ PARTICIPE ...

o cozinheiro é um verdadeiro Guru

O ATO DE COZINHAR COMO UMA ARTE: Toda a cultura dos povos hindus é marcada pela arte, influência também do tantrismo e dos povos dravidianos. Ainda hoje tudo na Índia se torna algo ligado à arte e a culinária indiana não poderia ficar à margem desse processo. Os cozinheiros indianos são verdadeiros artistas e artistas reverenciados, lembrando que, para os hindus, o alimento irá nutrir principalmente o espírito e, dessa forma, o cozinheiro é um verdadeiro Guru, Monge ou Iluminado – um Guru Rasoiya (cozinheiro).

todos os seres são sagrados

Nós falamos sobre a proteção dos animais, principalmente das vacas, que são sagradas. Mas todos os seres são sagrados, e o ser humano está numa posição superior de evolução. Porém o homem se tornou uma besta. Ele criou o medo, a crueldade, a gula, a exploração, a covardia. Ele abandonou a sua inteligência divina e perverteu os seus instintos demoníacos. Ele perdeu o seu caráter sagrado, e por isso ele não vê o sagrado na vida, em Deus, em todos os seres. Ele não pode ver Krsna no animal, na força que mantém a alma que evolui, no sagrado que volta para Deus. Com isto estamos criando nossos currais humanos. Estamos nos isolando da vida. Estamos nos afastando de Krsna. Nosso desprezo é a nossa pena de morte, nossa carreira indefinida de sofrimentos. Somos absurdos humanos deleitando-se em gozo dos sentidos bestiais. Mas alguns ainda estão humanos, lutando pelo sagrado, realizando a evolução, amando a Deus. Sim, as vacas são sagradas, principalmente quando nos tornamos limpos de coração.. e humanos.


Alemão

quarta-feira, 28 de novembro de 2007

MASSAI , PARA ELES ESTA É SUA RIQUESA

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket

Photo Sharing and Video Hosting at PhotobucketPhoto Sharing and Video Hosting at Photobucket

O POVO DAS VACAS....

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket


Os Masai habitam a zona de Masai Mara, terra semidesértica entre a fronteira do Quénia e da Tanzânia.

São velhos guerreiros, que deixaram de ter contra quem combater, ou só esporadicamente se envolvem em pequenas rixas com outras tribos Massai.
No entanto, sempre viveram em torno da produção de gado bovino e hoje, mais que nunca, a sua dedicação é total.
Vivem em torno das manadas que protegem dos predadores naturais da região, nomeadamente dos leões, a que frequentemente têm de fazer frente para proteger os animais da sua manada.

O leite é um dos alimentos fundamentais dos Massai, faz parte da sua dieta alimentar, quase em exclusivo. A carne é guardada para as ocasiões muito especiais.
Quando matam uma vaca, as regras são conhecidas: as melhores partes do animal vão para os idosos, depois, quando estes estão satisfeitos, comem os guerreiros e por último comem as mulheres e as crianças

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket




Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket

Massaidecidiram enviar uma vaca ao povo americano, era o que de melhor tinham...

O respeito e a dependência que esta tribo tem em relação aos bovinos não encontra paralelo em qualquer outra parte do mundo.
As trocas comerciais, para aquisição de qualquer outro produto, são feitas com o pagamento em vacas, e os dotes entre famílias, para que os seus filhos casem, também são constituídos por vacas. Assim, o noivo que tiver mais e melhores vacas para dar como dote, pode escolher a noiva desejada, enquanto os outros se limitam a ver, sem terem capacidade comercial, por terem menor número de animais, ou animais de pior qualidade.

Depois dos atentados do 11 de Setembro em Nova Iorque, as notícias chegaram aos Massai, por via oral, já que este povo não conhece outra forma de ter acesso às noticias. Então, como forma de solidariedade, decidiram enviar uma vaca ao povo americano, era o que de melhor tinham...



Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket

Na Índia, a população é maioritariamente Hindu. Esta religião venera a vaca como sendo um animal sagrado.

Na Índia, a população é maioritariamente Hindu. Esta religião venera a vaca como sendo um animal sagrado.

Na Índia, as vacas passeiam tranquilamente pelas cidades e vilas sem que sejam minimamente molestadas pelos habitantes, incluindo quando as manadas invadem as praças, onde comem os legumes dos produtores, sem que estes mostrem qualquer hostilidade para com o gado bovino. Devido a estas situações, algumas vacas desenvolveram um gosto especial por frutas.
O facto de, por vezes, não haver comida disponível para todas as vacas, leva a que alguns animais incluam na sua dieta papel e cartões que encontram espalhados pelo chão. O seu estômago, excepcionalmente robusto, permite estes abusos.

Algumas pessoas, de todas as castas, incluindo as mais altas, deixaram para trás as suas profissões para se dedicarem exclusivamente ao bem estar das vacas mais fragilizadas e/ou mais velhas, criando vacarias que são sustentadas por eles próprios e por outras pessoas que lhes vão dando donativos.
Entre estas pessoas, podemos encontrar políticos, médicos e toda uma série de profissões que neste país são muito importantes.

Existem na Índia aproximadamente duzentos e cinquenta milhões de vacas, que são respeitadas e veneradas por setecentos e cinquenta milhões de pessoas de crença Hindu!

Animais têm emoções, revelam estudos

Um estudo recente realizado na Universidade de Bristol mostra que as vacas têm uma forte vida sentimental que inclui emoções como a amizade, o rancor ou a frustração.
Os bovinos são ainda capazes de sentir emoções fortes como dor, medo e até ansiedade – preocupam-se com o futuro. Mas se os criadores lhes proporcionarem condições adequadas, podem mesmo sentir grande felicidade. As descobertas resultaram de estudos em animais de quintas, e descobriram características similares em porcos, cabras, galinhas e outros animais domésticos. Sugerem que estes animais poderão ser de tal forma emocionalmente semelhantes aos humanos que as leis de bem-estar animal deverão ser reformuladas.
Este estudo, coordenado por John Webster, professor de Produção Animal em Bristol e autor do livro “Bem-Estar Animal: a Coxear em Direcção ao Éden” (Animal Welfare: Limping Towards Éden) desmistificou ainda a ideia comummente aceite de que a inteligência está directamente relacionada com a capacidade de sofrer e que os animais, porque têm cérebros mais pequenos, sofrem menos do que os humanos.
Efectivamente, os pesquisadores documentaram como vacas formam, dentro de uma manada, pequenos grupos de amizade com quem passam a maior parte do tempo, muitas vezes lambendo-se e cuidando-se entre si. Também podem não gostar de outras vacas e alimentar rancores durante meses ou anos.
Também a sexualidade das vacas é subestimada pelo homem. No entanto, os pesquisadores qualificam-nas de ninfomaníacas. Segundo Webster as vacas excitam-se quando uma companheira da manada se excita e começa a tentar montar outra.
Esta e outras descobertas foram apresentadas numa conferência científica realizada em Londres, em Março de 2005, e organizada pela Compassion in World Farming

Bem-estar Animal na Universidade de Bristol,

De acordo com Christine Nicol, professora de Bem-estar Animal na Universidade de Bristol, os animais estão mais próximos dos seres humanos sob o ponto de vista emocional do que até aqui se acreditava. Esta investigadora afirmou ainda que "O nosso desafio é ensinar aos outros que todos os animais que tencionamos comer ou usar são indivíduos complexos, e ajustar a nossa cultura de exploração animal em conformidade".

O professor Donald Broom, da Universidade de Cambridge, que também participou da conferência, revelou, com base numa experiência, que as vacas podem ser estimuladas por desafios intelectuais. Durante um estudo, os investigadores desafiaram os animais com uma tarefa que consistia em descobrir como abrir uma porta para conseguirem obter alimento. As reacções foram controladas por um electroencefalograma para medir as suas ondas cerebrais. Constatou-se uma aceleração do ritmo cardíaco e algumas até pularam.

Neurobiologia Instituto Babraham em Cambridge

A crença generalizada de que os animais de quinta não sofrem em condições consideradas intoleráveis para humanos é em parte baseada na ideia de que são menos inteligentes do que os homens e de que não têm a “noção do eu”. No entanto, cada vez mais as pesquisas revelam que isto não é correcto.
Keith Kendrick, professor de Neurobiologia no Instituto Babraham em Cambridge, descobriu que até as ovelhas são muito mais complexas do que se pensava e conseguem recordar 50 caras ovinas – mesmo de perfil. Conseguem reconhecer outra ovelha após um ano afastadas. Segundo Kendrick, as ovelhas podem até estabelecer afeições fortes por certos humanos, entrando em depressão por separações longas e saudando entusiasticamente mesmo depois de 3 anos


A conferência Compassion in World Farming iniciou-se com um discurso chave de Jane Goodall, a primatologista que fundou os estudo da Senciência Animal com a sua pesquisa em chimpanzés no início dos anos 60 do século XX. Goodall desmistificou a crença de que os animais eram simples autómatos que mostravam pouca individualidade ou emoções. No entanto demoraram muitos anos para que os cientistas aceitassem que tal ideia fosse aplicada a muitos outros animais. ``Animais sencientes têm a capacidade de experienciar prazer e sentem-se motivados a procurá-lo”, afirmou Webster. ``Só é preciso observar como as vacas e cordeiros procuram e apreciam o prazer de estarem deitados com as cabeças levantadas na direcção do sol num perfeito dia de Verão inglês. Tal como os humanos.”.
Ocorreu um erro neste gadget